Expansão Urbana e Drenagem: Análise das Soluções Propostas para Manejo de Águas Pluviais em Região Produtora de Água na Bacia do Paranoá, DF

A. J. Brito1, C. S. Conserva2, C. B. Araújo3, E. C. Lavinas4, L. M. S. Andrade5

O presente artigo tem o objetivo de analisar como a expansão urbana impacta a sociedade e o meio ambiente, com recorte na questão da drenagem em região de recarga de aquífero na Bacia do Paranoá em Brasília, DF. O estudo justifica-se pela lacuna nas pesquisas no que diz respeito a relacionar a expansão urbana com os efeitos no escoamento superficial e degradação ambiental. Estudando projetos elaborados para a expansão do SHTQ, Trecho 2 da Etapa 1, pretende-se o uso da abordagem metodológica da Socioecologia, aquela que relaciona as atividades antrópicas com o uso dos recursos da natureza. Como procedimento de análise, a pesquisa fez uso do Método Racional bem como das simulações SWMM, na busca de quantificar como a urbanização interfere na vazão máxima de lançamento a partir de três cenários: o pré-desenvolvimento, a ocupação nos termos do projeto da Administração Pública e o uso das práticas LID com biovaletas da proposta conceitual elaborada pelo projeto “Brasília Sensível à Água”. Os resultados indicaram aumento de até 367 % na vazão máxima com a urbanização e uma diminuição de 99 % com o uso das práticas LID, demonstrando que as soluções baseadas na natureza podem proporcionar uma ocupação urbana com impactos minimizados ao meio ambiente.

Palavras-chave: expansão urbana, águas pluviais, drenagem, biovaletas