14 Aug
14Aug

Priorizando o espaço público definido pelas superquadras delineadas por Lúcio Costa, o CRA planteia a recuperação de solos contaminados e a introdução de espaços de trabalho e encontro ao ar livre numa área próxima ao centro da capital. O BIOTIC, como está sendo chamado o novo plano diretor concebido pela CRA para a Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), será um distrito de tecnologia e inovação de mais de um milhão de metros quadrados concebido para abrigar residências, escritórios, praças e parques urbanos.

Localizado no ponto de intersecção entre o Plano Piloto de Lúcio Costa e o Parque Nacional de Brasília, o arquitetos do CRA foram buscar inspiração no histórico desenho urbano da capital — declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO — para criar uma nova área de expansão urbana para a cidade de Brasília. Explorando a ideia de “natureza domesticada”, a proposta de Carlo Ratti pretende gerar “um novo ambiente urbano híbrido, social e ambientalmente sustentável, além de mais apropriado à escala humana.”

Cortesia de Carlo Ratti Associati

Quando vim a Brasília pela primeira vez, um amigo de longa data que morava aqui na capital me contou uma piada: ‘Sabe qual é o problema de Brasília? A quadra dos cafés fica longe da quadra do açúcar.' Em suma, a divisão funcional da cidade é uma de suas maiores questões desde sempre — algo que pretendemos abordar através do nosso plano. – Carlo Ratti, sócio-fundador do CRA e diretor do Senseable City Lab do MIT.

Cortesia de Carlo Ratti Associati
Cortesia de Carlo Ratti Associati

Inspiradas no plano Cerdà de Barcelona, as novas Superquadras de Brasília “serão organizadas em quarteirões menores acessíveis à pé". Na verdade, a incorporação de atividades de uso misto do nível da rua permitirá proteger ainda mais os bairros internos do tráfego intenso de veículos e da poluição decorrente, fortalecendo o caráter local de cada superquadra, além de gerar ruas e espaços cívicos mais vibrantes e conectados. Além disso, “a sua escala humana será determinada por um corredor verde caminhável que conecta o BIOTIC ao Parque Nacional.” O novo plano diretor proposto pelo CRA permitirá que apenas veículos autônomos e compartilhados circulem nas ruas e vias internas – uma estratégia que tem como objetivo reduzir a pegada de carbono e melhorar a ambiência do espaço público. 

Aproveitando-se do clima de Brasília, o projeto propõe escritórios ao ar livre, ou Outdoor Offices – espaços que “utilizam tecnologias digitais e gerenciamento de luz solar, vento e temperatura para oferecer aos seus usuários a oportunidade de trabalhar em contato com as áreas verdes das praças e parques." 

Guardar no Meu ArchDaily
Cortesia de Carlo Ratti Associati

Os edifícios de escritórios, apoiados sobre seus pilotis, foram projetados para que o sol e o vento entrem por todos os lados. Graças a um sistema de fachadas em painéis móveis de madeira, os espaços internos podem ser abertos completamente, permitindo o proveito máximo das ótimas condições climáticas de Brasília o ano todo. — James Schrader, gerente de projetos da CRA.

Guardar no Meu ArchDailyCortesia de Carlo Ratti Associati
Cortesia de Carlo Ratti Associati

BIOTIC

  • Plano diretor por CRA-Carlo Ratti Associati, desenvolvida em colaboração com Ernst&Young
  • Cliente: Terracap
  • Ano do projeto: 2017-2020
  • Equipe CRA: Carlo Ratti, James Schrader (Gerende de projeto), Rui Guan, Federico Riches, Chenyu Xu, Stephanie Lee, Pietro Franceschini, Ben Johnson
  • CRA Graphic Team: Gary di Silvio, Pasquale Milieri e Gianluca Zimbardi
  • Consultor de mobilidade: MIC - Mobility in Chain
  • Estratégias de sustentabilidade: LAND
  • Consultor de engenharia: Ai Engineering


Link para a postagem: https://www.archdaily.com.br/br/945633/carlo-ratti-associati-divulga-projeto-de-parque-tecnologico-em-brasilia?utm_medium=email&utm_source=ArchDaily%20Brasil&kth=420,970 

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.